Blog Sacratour
Menu
SacraTour

Turismo Religioso

A cidade onde Jesus nasceu: Belém

By In Geral, Terra Santa On 22/06/2020


Atualizado em 24/03/2022

Existe uma pequena cidade a menos de dez quilômetros de Jerusalém que guarda uma imensidão de significados históricos e espirituais. Ela se tornou o destino dos sonhos de muitos cristãos por ser imortalizada como a cidade onde Jesus Cristo nasceu. Hoje, nosso convite é para percorrermos os caminhos de Belém. Venha conosco nesta peregrinação pela cidade onde todo dia é Natal.

Belém acolhe a Sagrada Família

Belém ou Bethlehen, em hebraico, quer dizer “casa do pão”. A cidade palestina é conhecida mundialmente como o local onde Jesus nasceu.

De acordo com os relatos bíblicos, José e Maria partiram de Nazaré para Belém para que não precisassem participar do censo promovido pelas  autoridades romanas.

No evangelho de São Lucas vemos esse momento:

E aconteceu naqueles dias que saiu um decreto da parte de César Augusto, para que todo o mundo se alistasse
(Este primeiro alistamento foi feito sendo Quirino presidente da Síria).
E todos iam alistar-se, cada um à sua própria cidade.
E subiu também José da Galileia, da cidade de Nazaré, à Judéia, à cidade de Davi, de nome Belém (porque era da casa e família de Davi),
A fim de alistar-se com Maria, sua esposa, que estava grávida.

Lucas 2, 1-5

Onde Jesus nasceu

E aconteceu que, estando eles ali, se cumpriram os dias em que ela havia de dar à luz.
E deu à luz a seu filho primogênito, e envolveu-o em panos, e deitou-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem.
Ora, havia naquela mesma comarca pastores que estavam no campo, e guardavam, durante as vigílias da noite, o seu rebanho.
E eis que o anjo do Senhor veio sobre eles, e a glória do Senhor os cercou de resplendor, e tiveram grande temor.
E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo:
Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor.

Lucas 2, 6-11

Belém era um pequeno vilarejo com sua população formada por pastores. Era uma região bastante fértil e por isso ficou conhecida como Efrata que quer dizer milharal. Foi esse fato que deu à cidade de Belém a denominação de Belém Efrata ou Belém de Judá. Essa segunda denominação servia para diferenciá-la de outras cidades que tinham o mesmo nome.

Belém na Bíblia

Antes mesmo de ser o importante local onde Jesus nasceu, Belém já fora mencionada algumas vezes na Bíblia.

Belém é a região do local de morte e sepultamento de  Raquel , esposa do Jacó :

E partiram de Betel; e havia ainda um pequeno espaço de terra para chegar a Efrata, e deu à luz Raquel, e ela teve trabalho em seu parto.
Aconteceu que, tendo ela trabalho em seu parto, lhe disse a parteira: Não temas, porque também este filho terás.
E aconteceu que, saindo-se-lhe a alma (porque morreu), chamou-lhe Benoni; mas seu pai chamou-lhe Benjamim.
Assim morreu Raquel, e foi sepultada no caminho de Efrata; que é Belém.
E Jacó pôs uma coluna sobre a sua sepultura; esta é a coluna da sepultura de Raquel até o dia de hoje.

Gênesis 35, 16-20

Um lugar sagrado

Também  podemos ver a cidade de Belém em menções bíblicas como:

“Ora, aconteceu que um adolescente de Belém de Judá, da tribo de Judá o qual era levita e morava ali, partiu da cidade de Belém de Judá para procurar uma morada. Seguindo o seu caminho, chegou à montanha de Efraim, à casa de Micas. “De onde vens?” – perguntou-lhe este –. “De Belém de Judá – respondeu o levita – e via­jo em busca de um lugar onde me fixar.””
Juízes, 17, 7-9

Entre as muitas citações bíblicas envolvendo a cidade de Belém, anteriormente ao nascimento de Jesus, uma das mais conhecidas é a do Antigo Testamento no livro de Rute, em que  encontramos :

No tempo que governavam os juízes, sobreveio uma fome na terra. Um homem partiu de Belém de Judá, com sua mulher e seus dois filhos, indo morar nos campos de Moab. Chamava-se Elimelec e sua mulher Noemi; seus dois filhos chamavam-se Maalon e Quelion; eram efra­teus de Belém de Judá. Chegados à terra de Moab, estabeleceram-se ali.

Rute 1, 1-2

A BELÉM DE HOJE

Muito diferente do polo de peregrinação dos tempos atuais, na época no nascimento de Jesus, Belém era um vilarejo pequeno em população e bastante rústico. E foi neste local, com essa extrema simplicidade, em meio aos animais que veio ao mundo o Nosso senhor. Hoje, Belém abriga atualmente uma das maiores comunidades cristãs do mundo.

Quando peregrinarmos por Belém e chegamos ao seu centro, encontramos o local de maior importância: a Basílica da Natividade. Ou seja, é neste local sagrado que podemos conhecer a gruta em que Jesus nasceu. Este local teve desde o início do cristianismo o título de Sagrado.

Por isso, no decorrer dos anos, muitas outras construções tentaram protegê-lo, por ter também passado por tentativas de destruições. Muitos esforços foram feitos para que hoje pudéssemos adentrar à:

A igreja da Natividade

A Basílica da Natividade foi construída sobre a caverna onde aconteceu o nascimento do Menino Jesus . Pelos anos de existência, a Basílica da Natividade, a busca pela preservação e manutenção deste local sagrado sempre foi muito grande e, por isso mesmo, em 2012 a UNESCO deu à Igreja da Natividade o título de Patrimônio Mundial da Humanidade.

A Basílica da Natividade é o segundo lugar mais visitado na Terra Santa. Em primeiro lugar, temos o Santo Sepulcro e em seguida a Basílica da Natividade, que em tempos habituais, chega a receber por volta de 2 milhões de visitantes por ano.

Uma das igrejas mais antigas do mundo

 Estima-se que a construção da Basílica da Natividade  teve início no ano de 326. A primeira construção foi executada pelo imperador Constantino e sua mãe Helena, no século IV e, a que se vê atualmente, foi construída por Justiniano em 530 d. C. Todos esses anos de construção e reforma fazem da Basílica da Natividade uma das mais antigas do mundo.

Quando visitamos atualmente a Basílica da Natividade a vemos quase completamente renovada. O trabalho de restauração iniciado em 2013 já restaurou os mosaicos e colunas à sua antiga glória após 600 anos. “Esta é uma das maneiras de aumentar o turismo e garantir que os cristãos, atingidos pela crise econômica, não deixem esta terra”, disse o prefeito de Belém, Anton Salman, à Associated Press. “A igreja é linda, todos os cristãos do mundo deveriam visitá-la.”

A Porta da Humildade

Para que possamos entrar na Basílica, primeiro precisamos passar pela “Porta da Humildade”. A porta recebe esse nome por possuir apenas 125 cm de altura.

Diz a tradição que essa porta foi feita tão pequena para que não pudesse ser invadida por homens em seus cavalos, mas para nós o significado é distinto.

Por termos que nos curvar para entrar na basílica, consideramos esse ato como um sinal de humildade.

Gruta da Natividade

Uma vez dentro da Basílica, podemos visitar a Gruta da Natividade. Em outras palavras, podemos ter o privilégio de ajoelharmos e tocarmos a estrela de prata de quatorze pontas. Ela está no chão da Gruta consagrando o local exato do nascimento de Jesus.

Em primeiro lugar, imagine a emoção ao tocar no marco da manjedoura e contemplar o lugar do nascimento Daquele que veio ao mundo para a nossa salvação!

Praça da Manjedoura

Assim que saímos da Basílica da Natividade, podemos ver a Praça da Manjedoura, local de comemoração no período das festas natalinas. É neste local de Belém, tão importante para os cristãos, que as pessoas se reúnem para cantar canções de Natal antes da meia-noite.

Belém: a cidade Sagrada

Estar em Belém é como estar intimamente próximo ao sagrado, ou seja, podemos sentir a renovação das esperanças de renascimento.

Ao peregrinar por Belém, nos embrenhamos por uma cidade repleta de . E, o mais importante, é que podemos simbolicamente tocá-la e, ao mesmo tempo, nos deixarmos tocar pelo mistério que envolve a cidade que é a “Capital do Natal”.

E você? Tem vontade de conhecer Belém? Ou já conhece? Escreva em nossos comentários como foi essa experiência ou como você imagina que será.


2 Comentários

Leave a comment